Subvertendo versões

Enquanto não lançam disco novo (o já gravado Não Esperem Por Nós…), os guris da Pipodélica compilaram todas versões de outros artistas que fizeram e colocaram no projeto Infinito. Funcionando a princípio como um EP virtual (assim como Volume 4, lançado no início de 2005), o site será atualizado com novas versões assim que elas forem feitas. A próxima a entrar é She’s Leaving Home, gravada para um tributo brasileiro em comemoração aos 40 anos de Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, dos Beatles.

pipodelica.jpg

Estão lá Xmas Time Is Here Again (Beatles), Eu me amo (Ultraje a Rigor), Acontece (Cartola), A Viagem (Odair José), Zagueiro (Jorge Ben) e Ohm Sweet Ohm (Kraftwerk). Talvez por terem um estilo tão peculiar e único, a banda de Florianópolis consegue imprimir sua cara em músicas tão distintas. Não são apenas versões; são músicas com a cara da banda, sendo que quem não conhece as originais poderia muito bem que trata de músicas da Pipodélica. E, importante, com um resultado positivo sempre. Coisa que apenas o Móveis Coloniais de Acaju, no Brasil, também consegue.

É interessante analisar as versões como uma evolução sonora da banda, a mesma que tiveram em seus discos. Assim, Xmas Time Is Here Again, ainda com Carine Nath nos vocais, lançada em 1999, traz um pop menos elaborado em questão de timbres, e é a mais próxima do original. Daí pra frente todas as versões são de depois de 2004, e os guris subvertem o que era um ska-pop (Eu me amo), um sambinha ao violão (Acontece), uma balada marcial (A Viagem), um samba-rock (Zagueiro) e uma melancolia eletrônica (Ohm Sweet Ohm), transformando-as em baladas climáticas cheias de texturas sonoras e timbres, com muito mais cores e ânimo, que não fariam feio no principal disco da banda, Simetria Radial, de 2003.

Os Pipodélicos apresentam uma nova proposta de lançamento em um mercado em transição. Com um álbum em constante confecção, pretendem alimentar os fãs regularmente com novo material. Ao mesmo tempo, terminam a mixagem do novo CD, que deve ser lançado no início do ano que vem. Um álbum que se anunciava progressivo, mas que vem na mesma linha de Simetria, sem tantas guitarras quanto o EP Volume 4. Felizes com o resultado, eles prometem o melhor disco da banda. “Hora H é a música mais Pipodélica de todos os tempos”, já disse Xuxu. E isso significa que vem coisa boa por aí.

Baixe as músicas de Infinito em http://infinito.pipodelica.com.br

Escute duas músicas novas no MySpace da banda, www.myspace.com/pipodelica

Veja abaixo um ensaio acústico de Memória Multicolor, do álbum Simetria Radial

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: