Melhores discos do Ano

 

Não foi uma escolha fácil, principalmente a dos discos nacionais. Embaixo dos cinco primeiros nacionais e internacionais, a lista daqueles que ficaram de fora dos melhores, mas se destacaram em 2007. Durante a semana posto a lista das melhores músicas. Clique na capa dos álbuns para baixá-los.

NACIONAL

 

daqui_pro_futuro.jpg

Pato Fu – Daqui Pro Futuro – É o disco mais melódico da banda, deixando de lado os arranjos eletrônicos esquisitos dos primeiros álbuns para criar músicas mais orgânicas, todas cantaroláveis ao violão. Tem mais unidade do que o anterior, Toda Cura Para Todo Mal, que já indicava o caminho de um Pato Fu amadurecido. Cantando mais à vontade do que nunca, Fernanda Takai prova de uma vez por todas ser uma das grandes cantoras brasileiras.
Ouça: Tudo Vai Ficar Bem e A Verdade Sobre o Tempo

 

capa_novo_cd_charme_chulo_300.jpg

Charme Chulo – Charme Chulo – A mistura inusitada de viola caipira com o pós-punk inglês funciona muito bem no primeiro disco dos curitibanos. Uma das provas de que ousadia tem lugar no rock brasileiro.
Ouça: Apaixonante na Tristeza e Polaca Azeda

 

violins.jpg

Violins – Tribunal Surdo – O disco vem mais pesado do que o anterior, Grandes Infiéis, que já era uma porrada, além de trazer letras mais ácidas e diretas do que nunca, o que rendeu inclusive uma denúncia ao Ministério Público por incitação à violência e ao racismo. Os goianos criaram mais uma obra sólida em torno de um contexto, com a melhor música do ano, Grupo de Extermínio de Aberrações, e um som pulsante, que dá fôlego para o novo lançamento do grupo, Redenção dos Corpos, que deve vir em março.
Ouça: Grupo de Extermínio de Aberrações e Delinqüentes Belos

 

finocoletivo.jpg

Fino Coletivo – Fino Coletivo – O catarinense radicado em Alagoas Wado já vinha entortando o samba em seus bons álbuns anteriores, com destaque para A Farsa do Samba Nublado. Reunido com alguns amigos, o resultado é um álbum com inteligência, ritmo e uma musicalidade impressionante. Não deixa nada a dever nas músicas mais dançantes (Boa Hora) nem em baladas (a ótima Poema de Maria Rosa, regravada do disco Cinema Auditivo, de Wado).
Ouça: Poema de Maria Rosa e Dragão

 

terminal.jpg

Terminal Guadalupe – A Marcha dos Invisíveis – O melhor som de guitarra do rock brasileiro em 2007 está neste disco. Investindo no rock político, a banda alcançou projeção nacional em veículos como a Veja e Folha de São Paulo e já começa a fazer planos para expandir território em 2008.
Ouça: Atalho Clichê e De Turim a Acapulco 

INTERNACIONAL

 

baby81.jpg


Black Rebel Motorcycle Club – Baby 81 – Eles uniram a porrada dos dois primeiros discos ao folk e melodias do anterior, Howl. E fizeram o melhor e mais equilibrado disco da carreira.
Ouça: All Yout do Is Talk e Weapon of Choice

 

ourearthlypleasures.jpg

Maximo Park – Our Eartly Pleasures – O grande representante das bandas influenciadas diretamente pelos anos 80 de 2007. O disco abre com energia e potencial dançante, principalmente em Our Velocity e suas diversas mudanças de andamento, e vai ficando cada vez mais melódico, até descambar na sentimental Parisian Skies, faixa que fecha o álbum. Destaque para o aproveitamento de acordes completos nas músicas, não apenas ancoradas em riffs.
Ouça: Karaokê Plays e Parisian Skies

 

sky-blue-sky.jpg

Wilco – Sky Blue Sky – Quando saiu, muitos apontaram como o melhor disco do ano. Depois de algumas ouvidas a poeira foi baixando e o álbum já não ia empolgando tanto. Mas o certo é que ao voltar a sonoridade ao início da banda, Jeff Tweedy fez um ótimo disco de alt-country, com belos toques de folk e as já conhecidas melodias açucaradas prontas para serem assobiadas. O resultado bate de longe os cultuados primeiros álbuns, mas sem chegar perto do clássico maior da banda, Yankee Hotel Foxtrot.
Ouça: Impossible
Germany e On And On And On

 

era-vulgaris.jpg

Queens of the Stone Age – Era Vulgaris – Minha história com o disco é um pouco engraçada. Assim que Era Vulgaris caiu na Internet eu corri baixar. Escutei o disco e achei pesado pra caramba, bem difícil de escutar. Lembro que uma semana depois estava em São Paulo almoçando com o Mac e a Juliana Zambelo e o Mac comentava que tinha achado o disco difícil também. Só que eu tinha baixado o disco errado, tanto que as letras que apareciam no meu Winamp não batiam com o Josh Homme cantava. Envolvido na correria do TCC no segundo semestre, só fui escutar o disco correto com calma em dezembro. E joguei por terra toda aquela teoria de peso e dificuldade dele. Um dos melhores discos da banda.
Ouça: 3’s & 7’s e Make Wit Chu

 

magic.jpg

Bruce Springsteen – Magic – Apenas o riff de guitarra da primeira música deste disco (Radio Nowhere) já seria suficiente para colocá-lo entre os cinco melhores do ano. Mas ele tem muito mais, tem The Boss no melhor de sua forma, tocando o que sabe melhor: rocks básicos carregados de emoção. Destaque também para Long Walk Home.
Ouça: Livin in the Future e Radio Nowhere

 

OS QUE FICARAM DE FORA

 

Ecos Falsos – Descartável Longa Vida

Ludov – Disco Paralelo

Vanguart – Vanguart

Los Porongas – Los Porongas

Superguidis – A Amarga Sinfonia do Superstar

Cachorro Grande – Todos os Tempos

Autoramas – Teletransporte

Orquestra Imperial – Carnaval Só Ano Que Vem

Graforréia Xilarmônica – Ao Vivo

Nação Zumbi – Fome de Tudo

Bonde do Rolê – With Lasers

Josh Rouse – Country Mouse City House

Arcade Fire – Neon Bible

Radiohead – In Rainbows

Beirut – The Flying Club Cup

Arctic Monkeys – Favourite Worst Nightmare

Idlewild – Make a New World

Paul McCartney – Memory Almost Full

Modest Mouse – We Were Dead Before the Ship Even Sank

The Shins – Wincing the Night Away

Feist – The Reminder

LCD Soundsystem – Sounds of Silver

White Stripes – Icky Thump

Klaxons – Myths of the Near Future

Rufus Wainwright – Release the Stars

Grant Lee Phillips – Strangelet

Manic Street Preachers – Send Away the Tigers

Anúncios

5 Respostas to “Melhores discos do Ano”

  1. kaitoshi Says:

    Ainda estou tentando entender pq o melhor CD da carreira do Radiohead, e o marco do (a meu ver) novo estilo do Arctic Monkeys ficaram de fora da seleção.

    Particularmente, tu também tiraria a tentativa frustrada de “resgatar a mágica”, que o Wilco tentou promover com o novo CD, apesar de On and On and On ser realmente uma música agradável de ser ouvida.
    Jeff devia perceber que BEING THERE não volta mais.

    Ludov também foi um pequeno pecado, mas nada que comprometa a lista.

    Um abraço!

  2. Dirceu Getúlio Says:

    Pow, Tiagonesss
    Radiohead tinha que estar nessa lista, heim?
    Não concordo que seja o melhor CD da carreira, mas que deveria estar ali, ah, deveria…

    Sobre os CDs nacionais, muita boa lista!

    Abraçow!

  3. keka Says:

    Muito massa a seleção! Vou ouvir algumas das dicas!

  4. Tati Says:

    Gostei da sua lista… Wilco pra mim é trilha obrigatória, é uma delícia ouví-los… mas vim aqui devido à canção Pareço Moderno – conversamos meio que indiretamente lá no S&Y – ela é de uma sonoridade absurda, faz bem, inspira, e me fez vir aqui vasculhar que mais o senhorito escreve… risos.

  5. Newgrainiaraw Says:

    Hi! My name is Murray Collazo and I live in Eaton Rapids,MI. I have read your blog post about Melhores discos do Ano | trombone and I want to say that I am quite impressed with your professionalism on the subject!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: